Frases

9 de nov de 2015

AINULINDALË: o mito da criação da Terra Média


Sou apaixonado por cosmogonias e teogonias mitológicas. Cada uma com sua especificidade nos monstra como o ser humano nasceu e vive em busca por respostas e, assim, explicar o mundo de acordo com seus conhecimentos e limitações. Uma mitologia literária em particular, que gosto muito, é oferecida por J. R. R. Tolkien, em o Silmarillion: "Ainulindalë".

Segundo Tolkien, Eru, o Único, também conhecido como Ilúvatar, teria criado os Ainur, uma espécie de seres celestiais que lhe faziam companhia antes que tudo mais fosse  criado. Eru lhes propôs uma música com "um tema poderoso, desdobrando diante de seus olhos imagens ainda mais grandiosas e esplêndidas do que havia revelado até então". E juntos, os Ainur criaram uma Música Magnífica, inspirados pela Chama Imperecível de Eru. O Único sentou-se para escutar e alegra-se com a música que os Airnur cantavam. E para Eru "aquilo lhe pareceu bom".

Enquanto Eru se deliciava com a música dos Ainur que seguiam o tema proposto por Eru, no coração Ainur , um dos Ainur, surgiu "o impulso de entremear motivos da sua própria imaginação que não estavam em harmonia com o tema de Ilúvatar; com isso procurava aumentar o poder e a glória do papel a ele designado". Em Melkor "ardia o desejo da dar Existência a coisas por si mesmo". E sozinho, seus pensamentos diferenciavam-se de seus irmãos. Tais pensamentos se entrelaçaram com sua música. Sua música começou a influenciar os Ainur mais próximos.

Eru percebendo a mudança violenta na música, levantou-se e sorriu. Propôs um novo tema e começaram a cantar os Ainur. Contudo, Melkor novamente interferiu na música com seus pensamentos. Eru tornou a levantar, contudo com uma severa expressão. Um terceiro tema proposto, e nova música faziam os AinurMelkor ergueu sua voz e novamente destoou do tema proposto por Eru. O Único levantou-se e "sua expressão era terrível de ver". E disse:

"Poderosos são os Ainur,e o mais poderoso dentre eles é Melkor; mas, para que ele saiba, e saibam todos os Ainur, que eu sou Ilúvatar, essas melodias que vocês entoaram, irei mostrá-las para que vejam o que fizeram. E tu, Melkor, verás que nenhum tema pode ser tocado sem ter em mim sua fonte mais remota, nem ninguém pode alterar a música contra a minha vontade. E aquele que tentar, provará não ser senão meu instrumento na invenção de coisas ainda mais fantásticas, que ele próprio nunca imaginou". E continuou: "Contemplem sua  Música!"

E lhes mostrou uma visão, dando-lhes uma imagem onde antes havia somente o som. E eles viram um novo Mundo tomar-se visível aos seus olhos; e ele formava um globo no meio do Vazio, e se mantinha ali, mas não pertencia ao Vazio, e enquanto contemplavam perplexos, esse Mundo começou a desenrolar sua história, e a eles parecia que o Mundo tinha vida e crescia. E, depois que os Ainur haviam olhado por algum tempo, calados, Ilúvatar voltou a dizer:

"Contemplem sua Música! Este é seu repertório. Cada um de vocês encontrará aí, em meio à imagem que lhes apresento, tudo aquilo que pode parecer que ele próprio inventou ou acrescentou. E tu, Melkor, descobrirás todos os pensamentos secretos de tua mente e perceberás que eles são apenas uma parte do todo e subordinados à sua glória".

Na cosmogonia tolkiana da Terra Média, Melkor seria o responsável por todos os problemas oriundos da terra: guerras, mortes, doenças, enchentes, tempestades, secas, etc.

Uma obra de arte da literatura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...