Frases

29 de out de 2015

Conhece-te a ti mesmo


Numa campanha publicitária veiculada na TV, aqui em Belo Horizonte, o narrador fazia um convite a "viajar para dentro". Não me lembro do restante da publicidade para dar o devido crédito, mas esse trecho me chamou bastante a atenção.

A primeira coisa que me veio a mente quando convidado pela propaganda a viajar para dentro, foi a busca pelo autoconhecimento. É o mesmo convite feito a todos que iam cultuar a Apolo no templo dedicado a ele na cidade de Delfos: "Conhece-te a ti mesmo". É o convite feito a todo ser humano por Paulo de Tarso, que disse: "transformem-se adquirindo uma nova mentalidade".

Viajar para dentro é muito importante. Muitas pessoas não conhecem seus limites e escondem suas limitações e medos enganando a si mesmo e aos outros. Quando não nos conhecemos corremos o risco de viver uma vida de aparência e, vez ou outra, nos deparamos com o nosso verdadeiro "eu" saindo para fora, sempre em situações onde estamos mais vulneráveis. Por exemplo, estamos dirigindo e recebemos uma fechada de outro motorista. Nossa primeira reação vem do âmago de nossa alma e o nosso "eu" é revelado. Ou quando estamos no estádio de futebol e o nosso atacante erra um gol "feito". Falo por experiência própria, é claro.

É importante ainda, pois ao longo de nossa vida vamos nos perdendo dentro de nós mesmos. A miúde vamos substituindo nossa identidade por outras identidades que a princípio nos pareciam mais interessantes do que a nossa. Com o tempo já não sabemos quem nós somos. Estamos tão perdidos dentro das múltiplas facetas que escolhemos que resta pouco de nós mesmo em nós.

A narrativa da queda de Adão no paraíso bíblico demonstra como mesmo perdidos podemos nos encontrar novamente. Adão caminhava tranquilamente desnudo pelo paraíso, após experimentar do fruto do conhecimento do bem e do mal, se esconde do Criador atrás de um arbusto. É engraçado a inocência de Adão se esconder daquele que, segundo o salmo 139, está em todo lugar e sabe de todas as coisas. Adão que não tinha outra personalidade para copiar e, assim, ao substituir a sua, escondeu-se de si mesmo e não de Deus. Foi terrível para Adão reconhecer que estava com a alma desnudada, isto é, com suas falhas expostas diante de Deus naquele momento. A nudez a qual Adão temeu demonstrar ao Criador não era de sua genitália. Adão temeu expor sua "nova" persona. Então, o Criador chama por ele com uma pergunta que precisamos fazer a nós mesmos: "Onde estás?"

Adão consciente do seu erro escondeu-se. Consciente que sua nudez não era apenas corporal e sim de sua própria alma, tornou-se uma outra pessoa que não conhecia aquele a quem de mãos dadas passeava junto nos fins de tarde no paraíso. Esse "novo" Adão ouviu Deus chamar-lhe não para apenas sair de trás do arbusto e sim para que ele mesmo se encontrasse, que reconhecesse que mesmo nu, o Criador não o condenava por sem quer ele era. Adão precisava encontrar sua identidade original que conhecia o Deus que o criou e lhe disse que tudo era bom. Este mesmo Deus amoroso que ao vê-lo nu, vestiu-lhe e lhe disse que, ainda que levasse tempo, Adão iria encontrar-se a si mesmo "quando sua descendência pisasse a cabeça da serpente" - a personificação de todo o mal.

Na viajem para dentro nos deparamos com tudo aquilo que queremos que seja diferente. Vemos o quanto somos maus, mesquinhos, vingativos, ambiciosos, impiedosos, arrogantes, invejosos, etc., cada um a sua medida. Quando nos conhecemos de verdade somos mais inclinados a ter misericórdia daqueles que como nós também erram. Na oração do Pai Nosso, Jesus nos lembra que somos perdoados assim como perdoamos, isto é, somos pacientes com o próximo, pois sabemos que também falhamos no dia a dia. A medida que sou misericordioso, reconheço o quão misericordioso Deus é. Somente quem viajou para dentro compreende o tamanho da graça dispensada por Deus através de Jesus Cristo e, hoje, através do seu santo Espírito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...