Frases

24 de out de 2012

Aos habitantes da terra futura (Kaiowás-Guarani)

 
Esta semana as mídias sociais têm divulgado a trágica situação em que vivem as tribos indígenas matogrossenses, em particular a tribo Kaiowá-Guarani. A Justiça Federal decretou a expulsão de 170 índios da terra a qual hoje vivem. Circula pela rede uma carta escrita pelos índios desta tribo, que diz:
"Que bom que a senhora assumiu a presidência do Brasil. É a primeira mãe que assume essa responsabilidade e poder. Mas nós Guarani Kaiowá queremos lembrar que para nós a primeira mãe é a mãe terra, da qual fazemos parte e que nos sustentou há milhares de anos. Presidenta Dilma, roubaram nossa mãe. A maltrataram, sangraram suas veias, rasgaram sua pele, quebraram seus ossos... rios, peixes, arvores, animais e aves... Tudo foi sacrificado em nome do que chamam de progresso.  Para nós isso é destruição, é matança, é crueldade. Sem nossa mãe terra sagrada, nós também estamos morrendo aos poucos. Por isso estamos fazendo esse apelo no começo de seu governo. Devolvam  nossas condições de vida que são nossos tekohá, nossos terras tradicionais. Não estamos pedindo nada demais, apenas os nossos direitos que estão nas leis do Brasil e internacionais [...] E nós não podemos mais esperar. Não nos deixe sofrer e ficar chorando nossos mortos quase todos os dias. Não deixe que nossos filhos continuem enchendo as cadeias ou se suicidem por falta de esperança de futuro." - trecho selecionado.
A situação do povo Kaiowá é semelhante a que viveu o povo judeu no período pré-exílico. Para o judeu a terra era um símbolo da aliança do Deus dos Pais com o povo. Habitar na terra é uma dádiva (Gn 35:12). É na terra que o povo é medido diante de Deus (Dt 28:1). E "medidos" pelo Senhor foram levados para uma terra distante (2 Cr 36). A semelhança está no fato de que ambos têm sua história atrelada á permanência na terra de seus antepassados e mediante á forças contrárias, foram obrigados a abandonar suas terras. Kaiowá que se autodenominam Pai Tavyterã, cujo significado é “habitante do povo [aldeia] da verdadeira terra futura". Algo muito semelhante com o significado escatológico de Israel para o judeu.

Os judeus foram levados cativos á Babilônia. Os Kaiowá estão sendo obrigados a deixarem suas terras, nas palavras dos indígenas, "em nome do progresso". O pecado dos judeus contra Deus, segundo a sua história, os levaram para longe de sua terra (Jr 7; Am 5:21-24; Is 1:10-18). O pecado dos Kaiowá é o simples fato de existir. Como aconteceu com os moradores de Pinheirinho/SP. Assim como os judeus que choraram por sua terra, os Kaiowá pranteiam seus irmãos que preferem morrer na terra a serem obrigados a abandoná-la, pois ali estão enterrados seus antepassados, além dos muitos que foram mortos por pistoleiros.

De todas as diferenças que poderíamos também ressaltar, acredito que a maior de todas seja que o povo semita tinha a promessa de que um dia voltaria para sua terra. Seus profetas foram com eles para a Babilônia. Os Kaiowá por sua vez estão sem "esperança de futuro", conforme sua carta. E como cristãos, é nossa obrigação padecer junto com estes que hoje sofrem algo que acreditamos pertencer ao nosso passado de Fé. A luta dos Kaiowá não é apenas indígena, mas de todo homem negro, amarelo e branco desta nação.

O apóstolo Paulo afirmou que "a terra é do Senhor e toda a sua plenitude" ( 1 Co 10:26). Nós como filhos desta pátria amada e muitas vezes abusada pelo capitalismo desenfreado, não podemos aceitar qualquer tipo de Progesso sem a Ordem. O dono desta terra não teve para isso para suas ovelhas do outro aprisco, nem deste que habita em solo brasileiro (Jo 10:16). Que esta Igreja que se move para promover candidatos e boicotar novelas, mova-se também em prol dos Kaiowás! Que juntos possamos com eles cantar,
"Quando o Senhor trouxe os expulsos de volta a Pyelito Kue/Mbarakay, foi como um sonho. Então a nossa boca encheu-se de riso, e a nossa língua de cantos de alegria. Até nos noticiários se dizia: 'O Senhor fez coisas grandiosas por este povo'. Sim, coisas grandiosas fez o Senhor por nós, por isso estamos alegres. Senhor, restaura-nos, assim como enches o leito do rio Hovy nos dias de seca. Aqueles que semeiam com lágrimas, com cantos de alegria colherão. Aquele que sai chorando enquanto lança a semente, voltará com cantos de alegria, trazendo os seus feixes." - Paráfrase do Sl 126.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...