Frases

3 de fev de 2012

A pluralidade cristã


Convivo com muita gente inteligente, ou que pelo menos aparentam ser inteligentes. Pessoas de Fé e de Fé-alguma. Pessoas que estudaram muito e outras que pouco estudaram. Alguns precisam anunciar sua crença de forma extravagante, outros simplesmente vivem o divino na simplicidade que há no Deus-extravagante. Destes, alguns estudaram a Bíblia, outros apenas repetem o que ouviram no último domingo ou leram na postagem de alguém no facebook. Gente gostosa de conversar, sabe?

Sim. Eu tento, com dificuldade eu admito, me relacionar com a pluralidade de gente que compõe essa massa de seres racionais criados por Deus. Se Deus amou essa gente (Jo 3.16), é porque elas valem á pena. É claro que no percurso de amar, vez ou outra me deparo com alguém difícil de ser amado. Insisto mais um pouco e de repente vejo que foi em vão. Quando consigo, me levanto sacudindo a poeira e continuo minha peregrinação no meio dessa gente.

É claro que para alguns sou uma pedra no sapato, um chato de galocha, como diria minha falecida avó, um herege, diriam outros. A exemplo disso, meus irmãos pentecostais acreditam que eu preciso crescer. Eu por minha vez penso que eles precisam crescer. Sou falho e também cometo equívocos. Erro mais do que gostaria e acerto com menos frequência do que esperam de mim (escrever isso me fez engolir seco). Me suportar é uma tarefa desafiadora e quem me conhece mais de perto pode confirmar isso.

Mas ultimamento tenho visto que um dos grupos mais difíceis de suportar é aquele dos que buscam homogeneizar a reflexão teológica. Existem pessoas que encontraram farelos de cristais da verdade, e acreditam possuir a verdade. A verdade, nada mais é um grande globo de cristal cintilante que Deus teve o prazer de explodir e fazer com que os miúdos pedaços caíssem em toda a terra para que pudéssemos encontrá-la. "Se deixe levar, que a vida / é parte do mistério / é tanta coisa pra se desvendar"¹. "A verdade é plural. E a mentira singular", li no blog do Brabo. E mesmo assim, existem pessoas que querem converter as pessoas á sua própria verdade.

"Eu sou a verdade", disse Jesus (Jo 8). Uma afirmação dessas só poderia ter sido por um louco ou por alguém que realmente sabia o peso desta afirmação. Lendo os Evangelhos vemos que de louco, nada tinha o Cristo. No entanto, muitos de seus seguidores abusam da afirmação feita pelo Senhor e promulgam que eles possuem a verdade. Estão dispostos á perder amigos, família em prol de sua interpretação das Escrituras, como se sua interpretação fosse absoluta. "Tudo o que é absoluto pertence à patologia", afirmou Nietzsche. Acho que concordo com Nietzsche...

Muitas pessoas querem absolutizar a interpretação das Escrituras, da Fé e da Vida para se sentirem mais confortáveis no mundinho que criaram para si. Afinal de contas é muito mais fácil as pessoas se converterem a minha verdade, do que eu aprender a conviver com as dela. Não se trata de se abrir á experiência de outros deuses, pois "o Senhor nosso Deus é UM" (Mc 12:29). Trata-se de respeitar a peregrinação espiritual do outro. Cada um de nós está em um diferente ponto do Caminho. O Caminho é UM? Sim! Mas continua sendo um Caminho. Caminho á ser percorrido, á ser conhecido e á ser vivido. Assim como Bartimeu, estávamos "á beira do caminho" (Mc 10:46) e depois que passamos a confiar no Caminho, seguimos nele (vv. 52).

Paulo nos dá um bom exemplo em sua carta aos coríntios sobre níveis de maturidade no conhecimento de Deus:
"Com leite vos criei, e não com carne, porque ainda não podiam suportar, nem tampouco ainda agora podem" 1 Co 3:2
No entanto, alguns incomodados insistem em tornar o conhecimento algo singular. Se afirmamos que a fonte, isto é a Bíblia, o seja, podemos nos perguntar qual delas? A versão massorética ou a septuaginta? A Católica, a Ortodoxa ou a Protestante? A minha tradução ou as outras traduções?... Precisamos ter mais humildade em relação ás nossas verdades e absolutos. Devemos respeitar o nível de maturidade espiritual do outro e a sua interpretação. E lutar para que na ausência de absolutos, não nos afoguemos no relativismo desacerbado. Tudo cresce a seu tempo. "Há tempo para tudo", disse o Coélet ². "Há tempo de calar, e tempo de falar" (Ec 3.7). Precisamos nos calar antes de falar.

Somos muitos. Somos vários. Somos diversos. Somos diferentes. Somos Corpo. E enquanto Corpo, devemos respeitar todos os membros. Precisamos "de um pouco mais de paciência", diria o Lenine.
"Se um membro sofre, todos os membros padecem com ele; e se um membro é tratado com carinho, todos os outros se congratulam por ele. Ora, vós sois o corpo de Cristo e cada um, de sua parte, é um dos seus membros." (1 Co 12:26-27)
Conclusão: Um dia precisei abrir mão de discutir abertamente sobre minhas posturas de Fé, minhas posturas Teológicas, para que eu não perdesse um irmão. Jesus nunca deixou de dizer a Verdade, é verdade. Mas nunca machucou os pequenos com a sua verdade.

¹ - Todos os Caminhos, de Lenine.
² - Eclesiastes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...