Frases

15 de fev de 2011

Graça. Quem precisa?

Um prezado amigo de nome Alex, vem enviando sistematicamente mensagens em meu correio pessoal com significado de palavras. Tem uma palavra que ele ainda não me enviou, e que acho que o significado dela, no qual tratou Philip Yancey, em seu livro Maravilhosa graça, foi perdido hoje na igreja: Graça.

Perdido de duas formas, a graça barata e a graça cara. Mas antes, como o Alex, vamos ao significado de graça: Graça [Do lat. gratia] é dom imerecido. Não há nada, nada que possamos fazer para merecê-lo.

Alguém pode argumentar:

Mas a minha avó é uma pessoa tão boa...
Ghandi fez muita coisa pelos outros...
Mas o meu pastor é um homem santo...
O papa João Paulo II foi tão bonzinho...

Ninguém, ninguém, ninguém mesmo fez algo para merecer a graça...

O único homem que fez algo a ponto de poder reivindicar a graça (e esse sim com todo o direito) foi Jesus. Mas Jesus em vez de tê-la para si, ele nos chama para sermos co-herdeiros dele de seu reino, e muito mais do que uma mãe que ama seus filhos, ele cuida de nós.

Vejamos, então, os dois tipos de graça:

Primeiramente, existe a graça barata, termo cunhado por Dietrich Bonhoeffer em O Discipulado, que seria aquela que é banalizada; utilizada como refúgio inesgotável de perdões; distribuída por mãos levianas, sem pensar, sem limites, sem preço, sem custo. Tudo está pago e o preço pago foi grande. Então, as possibilidades de uso e dissipação também são. Ela, inclusive, é negociada... A graça barata acontece quando há justificação do pecado, e não do pecador.

Outro tipo de forma triste de se ver a graça de Deus é a graça cara. A graça cara é aquela do pecador que não pode ser perdoado. Pois o pecado dele foi grande demais. Como se o homossexualismo fosse um pecado maior do que a indiferença, ou que a prostituição fosse maior do que a do que a crueldade. A graça cara é aquela que faz com que o olhar dos ditos “santos alcançados pela graça” façam com que o pecado do outro seja tão terrível, que ele se sinta ainda pior, ou seja, desgraçado.

Nós, como aqueles que anunciam o reino de Cristo, temos a obrigação, de anunciar a graça de Cristo, a verdadeira: nem barata e nem cara. Aquela que é suficiente para nós salvar. Aquela que só pode ser entendida, quando aceitamos que Jesus Cristo nos ama, independente daquilo que somos. E, dessa forma, moldamos nossa vida por esse amor.

Somente assim, o reino de Deus será sentido nesta terra.

Como disse o escritor Brennan Meaning:

e que neste momento (Jesus) vai até você e diz:
Eu tenho uma palavra para você. Eu conheço toda a sua historia de vida, todos os esqueletos em seu armário, todos os momentos de pecado, vergonha, desonestidade e amor degradante que obscurecem o seu passado. Eu sei que agora mesmo você está com uma fé superficial, uma vida de oração frívola, e discipulado inconsistente. E minha palavra para você é esta: Desafio você a confiar que eu lhe amo do jeito que você é. E não do jeito que você deveria ser. Porque você nunca será como deveria ser.

Wesley Jesus dos Santos é bacharelando em Pedagogia e Teologia pela FATEBH - Centro Metodista Izabela Hendrix.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...